O que significa a certificação BAP para a Aquabel, Aquafeed e Geneseas?

O que significa a certificação BAP para a Aquabel, Aquafeed e Geneseas?

14 de fevereiro de 2019

arroba publicidade
Em janeiro de 2019, a Aquafeed Nutrição e a Aquabel receberam da credenciadora escocesa Acoura Marine/Lloyd's Register a certificação global BAP (Best Aquaculture Practices). O certificado é um dos mais importantes de boas práticas em aquicultura no mundo.

O auditor Silvio Romero Coelho esteve em todas as etapas das auditorias recebidas pelas empresas nacionais. Para ele, a certificação BAP é um passo importante para a profissionalização e melhoria da aquicultura no Brasil.

"A Geneseas é uma empresa nacional que tem o certificado para frigorífico e mais duas fazendas", disse o auditor. Agora com as conquistas da Aquafeed e Aquabel - suas principais fornecedoras de alevinos e rações -, ela entrou em um seleto grupo. "Hoje está no grupo de 197 empresas certificadas quatro estrelas no mundo."

Coelho diz que há uma tendência de se acreditar que a certificação só é necessária para a empresa que exporta, mas para ele entre as vantagens oferecidas pelo selo, o controle do processo de gestão é visto como a mais significativa."O mais importante é que, quando a empresa faz a aplicação da norma BAP, ela começa ter a necessidade do controle maior no gerenciamento de dados, registros e serviços", declarou.

Como consequência, a empresa certificada passa a ter redução de custos, perdas e desperdícios. "O que efetivamente reflete no resultado final da companhia, já que o cliente recebe um produto de melhor qualidade, de menor custo e que possibilita um potencial aumento de vendas", completou.

Ele declarou que hoje em dia os grandes compradores internacionais de pescado são pressionados pelos clientes para que se determine com clareza a origem do pescado, se vem de uma área com impacto ambiental muito grande ou até se há o uso de produtos tóxicos ou de produtos proibidos pelos riscos que podem causar à saúde humana, etc. "Essas demandas cresceram muito na última década fazendo aumentar a procura por certificações."

Segundo o auditor, a BAP - uma certificação americana-, criada e administrada pelo Global Aquaculture Alliance (GAA), está entre as três principais no mundo, sendo a única certificação acreditada juntamente pelo Global Food Safety Initiative (GFSI), Global Social Compliance Programme (GSCP) e Global Sustainable Seafood Initiative (GSSI).  Ela abrange vários aspectos e é basicamente pedida para clientes ou fornecedores de pescado que enviam produtos para o EUA.

Romero explicou que o selo categoriza as companhias por estrelas e pode ser realizada em várias frentes de operações: "A primeira estrela é obtida pelo frigorífico; a segunda à fazenda de cultivo; uma terceira é conquistada pelo laboratório de formas jovens e a quarta estrela vai para a fábrica que fornece alimento para aquele organismo aquático."

“A BAP não certifica a espécie, mas o processo”, frisou. Ele disse ainda que a adesão é voluntária, a empresa recebe um questionário e há um período para adequar os processos e registros às normas do BAP.

O processo de auditoria se divide na etapa documental e em visitas físicas às instalações do estabelecimento. De acordo com ele, baseia-se em quatro pilares: segurança alimentar; segurança ambiental; bem estar animal; e as condições trabalhistas e sociais da organização.

A conquista

O CEO da Aquafeed, Eduardo Amorim, comentou que a certificação torna mais viável a vendas externas de ração para peixes – especialmente tilápia, foco da empresa. "A certificação BAP valoriza ainda mais o trabalho da empresa inclusive com possibilidades reais de exportação”, destacou.

Segundo Amorim, validações como essas têm impactos positivos no setor, já que influenciam no nível de confiança dos produtos e pescado brasileiro no exterior. A conquista BAP pela Aquafeed faz dela a primeira fábrica de nutrição animal com essa validação no País, garante o executivo.

O CEO também espera que o feito possa servir de estímulo para as demais concorrentes. "Fizemos isso não só para sermos reconhecidos, mas também para incentivar outras indústrias de nutrição e pisciculturas", disse.

Sobre as expectativas futuras da empresa, revelou que estão investindo no aumento da produção, criando uma linha de produtos voltada para alevinagem e engorda. "A meta é saltar de 3.000 para 4.500 toneladas até o final deste ano."

O desejo é ver o Brasil entre os três principais países de cultivo de peixe do mundo nos próximos 15 anos: " O desafio é grande, temos que fazer mais com menos. Buscar produtividade e qualidade mantendo uma evolução constante em relação aos padrões dos produtos. Só assim, com este suporte, iremos avançar em termos de produção doméstica e exportação," declarou.

Para o CEO da Aquabel, Ricardo Neukirchner, o selo também trará uma série de benefícios, incluindo mais clientes à empresa, já que poderão usar como mais um argumento na venda de seus produtos no exterior e até mesmo no Brasil: “Uma vez com a certificação internacional, a Aquabel deve conquistar clientes mais fiéis e que buscam excelência na produção.”

Ele informou que a busca pelo certificado começou porque a Geneseas precisava de um fornecedor de alevinos com certificação internacional, até para conseguir melhores preços do seu produto a ser exportado. “Quando se exporta filé de tilápia existe um preço especial para empresas que trabalham certificadas e com fornecedores certificados”, comentou.

O passo seguinte foi buscar a certificadora BAP. "Então em contato com a certificadora iniciamos o processo durante um ano com altos investimentos, adequações nas instalações, compra de equipamentos, treinamento da equipe e mudanças de comportamento e atitude de todo o grupo”, revelou Neukirchner.

No mundo

A BAP encerrou 2018 com 2.287 instalações certificadas pelo programa em todo o mundo.

Conforme apurou o Portal americano FIS, das 2.287 instalações certificadas, 1.534 são fazendas, 370 são plantas de processamento, 45 são plantas de reprocessamento, 220 são incubadoras e 118 são fábricas de ração. As mais de 1.500 fazendas representam cerca de 1,5 milhão de toneladas de produção por ano.

O programa BAP mais do que triplicou em tamanho nos últimos quatro anos, passando de 700 instalações certificadas em 2014 para mais de 1.778 instalações até o final de 2017.

São 33 países que possuem instalações certificadas pelo programa, 197 dessas instalações oferecem produtos BAP de quatro estrelas, o que significa que o produto é originário de uma planta de processamento, fazenda, alevinagem e fábrica de ração todas certificadas pela BAP.

Aquabel, Aquafeed, aquicultura, Geneseas, pescado

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3