Blumar inicia exportação de salmão fresco via aérea para o Brasil
Food Service

Blumar inicia exportação de salmão fresco via aérea para o Brasil

Carga de 2 mil kg de peixe fresco saiu de Carriel Sur, no Chile, para Viracopos, no Brasil

29 de agosto de 2019

arroba publicidade
Na quinta-feira (22), a Blumar Seafood iniciou as exportações via aérea de salmão para o mercado brasileiro. Uma carga de 2 mil kg de peixe fresco saiu de Carriel Sur, aeroporto internacional da cidade de Talcahuano, na Grande Concepción, no Chile, em direção ao aeroporto de Viracopos, no Brasil. 
 
Conforme o portal Mundo Acuicola, foi a primeira exportação certificada do produto do grupo chileno com partida regional por via aérea de Talcahuano. Embora a Blumar revelou que outras exportações já aconteceram, mas feitas como um trânsito para depois voar de Santiago para os Estados Unidos. O mercado americano é o principal destino do salmão fresco e congelado da empresa. O Brasil também integra a lista de mercados importantes, junto com outros países da América Latina, Europa e Ásia.
 
O processo documental da exportação foi realizado com os Serviços Públicos da região de Biobío, como o Serviço Nacional de Pesca e o Serviço Nacional da Alfândega.
 
Para o gerente comercial e de valor agregado da Salmon Blumar, Daniel Montoya, a ação foi significativa, pois como uma empresa regional, a descentralização dos embarques aéreos dará maior fluidez às operações, além de uma oportunidade de aumentar os negócios em grandes mercados.
 
“É muito importante para a Salmon Blumar reduzir a cadeia logística e reduzir o tempo de expedição da fábrica, especialmente com um produto fresco, que estará em algumas horas nos principais restaurantes de sushi do Brasil, um mercado altamente exigente em termos de qualidade”, avalia Montoya.
 
Ele ainda revelou que são estimados embarques de até US$ 2 milhões por ano, podendo aumentar para US$ 5 milhões quando o aeroporto tiver a infraestrutura necessária. 
 
O tesoureiro da região de Biobío, Cristian Muñoz, espera que a decisão da Blumar possa incentivar outros grupos a iniciarem exportações do aeroporto de Talcahuano.“Precisamos de mais atores para se envolver, não apenas exportadores, mas também empresas com serviços de logística que lhes permitam crescer. Acreditamos que a decisão da Blumar é o caminho certo ”, afirmou.
 
Exportação aérea é pequena
A análise de dados do serviço estatístico do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) indica que o Brasil importou 42 toneladas de filé de salmão fresco via aérea de janeiro a julho, a um custo médio de US$ 10,55. O volume é muito pequeno se comparado ao volume importado do mesmo produto pela via rodoviária (493 toneladas a um custo médio de US$ 9,97).
 
Veja os detalhes na tabela abaixo:
 
 
 
Dados: MDIC / Elaboração: Seafood Brasil
 
Créditos da imagem: Paulina Herrera/Pixabay

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3