Carlos Magno deixa Embrapa por exigência legal; em parceria com a entidade, Sebrae cria maratona criação de software

Carlos Magno deixa Embrapa por exigência legal; em parceria com a entidade, Sebrae cria maratona criação de software

Aposentado pela Embrapa, Magno não poderá mais exercer função de chefe-geral

- 27 de setembro de 2017

A saída do chefe-geral da Embrapa Pesca e Aquicultura, Carlos Magno, surpreendeu a todos quando anunciada na segunda-feira (18 de setembro). Em um primeiro momento associada a uma opção pessoal, a decisão posteriormente revelou um problema legal.

De acordo com a Embrapa, Magno precisou ser afastado pela Diretoria Executiva para atender a uma exigência do Ministério Público do Trabalho (MPT) de que só podem exercer atividades em uma estatal pessoas contratadas por concurso público.

Ele se desligou da Embrapa em 2009 depois de 35 anos, dando entrada em sua aposentadoria, mas foi convidado a assumir o novo braço da Embrapa em 2010. Como estava no sétimo ano de dois mandatos (a norma prevê um mandato, prorrogável por mais três), Magno não pôde prosseguir à frente da chefia-geral. Em seu lugar, assumiu interinamente o analista Alexandre Aires de Freitas, atual chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia, até a seleção de um novo ocupante do cargo.

Em videoconferência com a equipe da Embrapa, Magno falou sobre o legado de sua gestão. "Deixaremos aqui uma competente equipe de jovens pesquisadores, analistas, técnicos e assistentes comprometidos com a pesca, com a aquicultura e com os sistemas agrícolas, atividades essas tão importantes para a sociedade brasileira, especialmente para aquela parte menos favorecida, os mais pobres, que aqui no Tocantins perfazem 38% dos seus quase 1,6 milhão de pessoas”.

Em sua gestão, fortaleceu a articulação entre o setor privado e a pesquisa e concluiu a construção da atual Sede da Embrapa Pesca e Aquicultura, que abriga 78 funcionários. A equipe publicou no período 505 trabalhos técnicos, dos quais 155 foram em periódicos indexados e, destes, 104 em veículos de reconhecida qualidade científica. Foram realizados ainda 389 eventos com capacitação de quase 29 mil pessoas.

Leia aqui a entrevista que Carlos Magno concedeu à Seafood Brasil na edição #14

Maratona de programação
Em paralelo à mudança, o Sebrae e a Embrapa lançaram, em 21/08, uma maratona de programação voltada à criação de um aplicativo para empreendedores da aquicultura, com foco na gestão do negócio. A mobilização, conhecida como hackaton, reúne universitários, programadores, empreendedores de startup e desenvolvedores profissionais.

De 19 a 28 de outubro, na sede do Sebrae (PI), em Teresina, serão selecionadas no Hackathon Aquitech até 15 equipes, com três a cinco participantes. As inscrições poderão ser realizadas a partir do dia 21 de setembro até às 23h59 do dia 15 de outubro, no site: www.sebrae.com.br/desafioaquitech, onde será disponibilizado aos interessados um formulário para preenchimento.

As equipes selecionadas competirão entre si para desenvolverem, em curto período, uma solução inovadora, conforme o desafio proposto pela coordenação do evento. O objetivo do Hackathon Aquitech – Gestão para a aquicultura é a criação de um aplicativo voltado para aquicultura, com foco em gestão, em até uma semana.

Alexandre Freitas, Carlos Magno, Embrapa, Embrapa Pesca e Aquicultura, hackaton, Sebrae

 
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3