Com oferta alta, bacalhau continua barato

Com oferta alta, bacalhau continua barato

Os preços de bacalhau da Noruega continuam sua tendência de queda, apesar do corte de 12,5% em importações no primeiro semestre.

05 de agosto de 2013

arroba publicidade
Crédito da imagem: Tristan Ferne

Os preços de bacalhau da Noruega continuam sua tendência de queda, com corte de 12,5% na receita com importações no primeiro semestre. Não seria surpreendente verificar que a tendência continue até a próxima Páscoa, porque de acordo com o relatório trimestral Globefish Highlights, da FAO/ONU, os preços da espécie Gadus morhua na Europa caíram para níveis que não eram registrados nos últimos trinta anos.

O fenômeno é resultado direto do aumento das exportações da Noruega, que aumentaram 39% nos primeiros cinco meses do ano, chegando a 113.274 toneladas. Mais significativa foi a taxa de produtos frescos, que subiu 97%, mas com um impacto inverso nos preços, porque o preço FOB médio de maio foi de US$ 2,85 contra US$ 3,80 no mesmo período do ano passado (-25%).

A chance de ter bacalhau barato na próxima Páscoa é comprovada pelo relatório Globefish, que indica que este recorde na captura verificada em 2012/2013 será seguido por outro em 2014 e somente em 2015 começaria uma tendência descrescente, com um possível aumento nos preços.

Da variedade de bacalhau Gadus morhua se consegue o bacalhau mais valorizado. Mas também se expandem no Brasil versões mais populares, como o saithe (Polachius virens), ling (Molva molva) ou zarbo (Brosme brosme), além do Polaca do Alasca (Theragra chalcogramma) importada da China.

Alasca, bacalhau, China, exportações, importações, Noruega

 
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3