Fórum da Aquicultura na Apex vai estimular exportações do pescado

Fórum da Aquicultura na Apex vai estimular exportações do pescado

Meta é criar planejamento estratégico para inserção internacional da aquicultura brasileira

12 de julho de 2017

arroba publicidade
Nos primeiros seis meses de 2017, o Brasil exportou 19,2 mil kg de pescado, faturando US$ 88,5 milhões. O volume e a receita decorrentes são irrisórios se comparados às centenas de bilhões de dólares movimentados pelo mercado mundial do pescado. Com a intenção de mudar este panorama, a Agência de Promoção de Exportações (Apex-Brasil) deu início em Brasília ao Fórum para o Desenvolvimento da Aquicultura.

A primeira reunião foi realizada em 13 de junho com a participação da Secretaria de Aquicultura e Pesca do MDIC, Associação Brasileira da Piscicultura (PeixeBR), a Associação Brasileira dos Criadores de Camarão (ABCC), Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Ministério da Agricultura (Mapa) e Presidência da República.

Nesta entrevista abaixo, exclusiva para a Seafood Brasil, o analista de negócios internacionais da Apex-Brasil, Alberto Bicca, explica as motivações da Apex para a criação do fórum e o andamento do projeto.

1) Como foi a reunião sobre o desenvolvimento da aquicultura brasileira?

A reunião serviu para instalação do Fórum da Aquicultura, que contará com a participação de órgãos do governo intervenientes do setor, a iniciativa privada e a Apex-Brasil. Nesse primeiro encontro, as partes começaram a discutir a formulação do Termo de Referência para contratação de empresa que fará o Planejamento Estratégico para o setor da aquicultura brasileira.

2) Qual é ao diagnóstico da Apex sobre a aquicultura brasileira e como a agência pode colaborar com este desenvolvimento?

A Apex-Brasil avalia que o setor da aquicultura tem um grande potencial de crescimento no Brasil e que pode se tornar um grande exportador no futuro. O pescado é um dos produtos com maior fluxo de comércio dentro das exportações do agro mundial. Nosso objetivo é que o Brasil se torne um player relevante também neste setor.

3) Existe a possibilidade de formar um projeto setorial da Apex para fomentar as exportações do setor? Quais são as recomendações da Apex ao setor produtivo para que isto realmente ocorra?

A Apex-Brasil está disposta a apoiar e fomentar o setor.  A forma de atuação da agência vai depender especialmente do Planejamento Estratégico que será feito.

As recomendações são as mesmas para todas as empresas que querem alcançar mercados externos: é importante se preparar para a exportação. Ao olhar para o mercado externo, a empresa precisa avaliar o potencial dos mercados de interesse, estar disposta a investir, capacitar suas equipes e buscar as certificações necessárias e exigidas no mercado alvo.

4) Que outros cases de setores apoiados pela Apex poderiam servir como referência para conhecimento do segmento aquícola brasileiro?

O setor de proteínas animais tem no seu sistema de produção integrada um bom exemplo de como o setor da aquicultura pode crescer a ponto de atender tanto o mercado interno como o externo.

Foto: Da esq. à dir., Antonio Guerreiro, embaixador do Brasil em Bruxelas; Dayvson Franklin, secretário da SAP; e Alberto Bicca, o analista de negócios internacionais da Apex-Brasil.

apex, aquicultura, exportação de pescado, pescado

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3