Importações do Vietnã cresceram 23,5% em 2014; em 2015 deve faltar produto

Importações do Vietnã cresceram 23,5% em 2014; em 2015 deve faltar produto

Apesar da suspensão de novas importações de pangasius do Vietnã vigente desde o fim do ano passado, o balanço de 2014 mostra que as importações de pescado daquele país nunca foram tão altas. No ano passado, o Brasil importou 67,1 mil toneladas de filés brancos de pangasius, 23,5% mais do que em 2013.

26 de janeiro de 2015

arroba publicidade
Crédito: Highreshdwallpapers.com

Apesar da suspensão de novas importações de pangasius do Vietnã vigente desde o fim do ano passado, o balanço de 2014 mostra que as importações de pescado daquele país nunca foram tão altas. No ano passado, o Brasil importou 67,1 mil toneladas de filés brancos de pangasius, 23,5% mais do que em 2013.

Só em janeiro foram importadas 8,8 mil toneladas, 39% mais do que no ano anterior. O mês de outubro, quando ainda se definia a suspensão, registrou a maior expansão do segundo semestre, de 31,78%, com os distribuidores nacionais dedicados a abastecer seus estoques para o período de proibição.

Os mesmos patamares ocorreram em termos de receita no acumulado do ano: foram US$ 134 milhões gastos pelos brasileiros em 2014, contra US$ 108 milhões em 2013. A maior valorização ocorreu em abril, quando as compras se valorizaram  70,21%, apesar do crescimento de 61,6% em volume. Veja tabela abaixo:

tabela_filés_vietnam_2014

Enquanto isso, oficialmente o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) afirma que está mantida a proibição da importação de panga do Vietnã. Uma missão oficinal do governo asiático foi realizada a Brasília no fim de novembro, quando as autoridades vietnamitas se dispuseram a cumprir os requisitos do MPA.

Enquanto isso, o mercado fala em aumento de preços e desabastecimento. "As importações de dezembro devem ser as últimas (ou quase) pois não existem mais licenças em vigor e a falta do produto vai se refletir a partir de fevereiro. Os preços do filé banco já estão refletindo a falta de produto para a Semana Santa", conta Ivan Lasaro, diretor da Opergel. "O filé de merluza argentino já subiu 10% na origem", diz.

Onda de falências no Vietnã

Crédito baixo para começar a atividade e muitas oportunidades no exterior, inclusive no Brasil. Foram essas as motivações de muitas indústrias de pescado nas províncias do sudoeste do Vietnã para ingressar na aquicultura. No entanto, de acordo com informações apuradas pelo portal SeafoodNews.com, muitas empresas faliram e geraram instabilidade no país.

A diretora de uma das maiores companhias locais dedicadas ao pangasius e outras espécies, Truong Thi Le Khanh, culpou o crédito baixo pelos danos à indústria do catfish (bagre, categoria onde se insere o panga) especialmente, mas a todo o setor de seafood. O desenvolvimento superaquecido da indústria de processamento e a antecipação do aumento de preços encourajou diversas empresas a pegar empréstimos para cultivar e processar peixe para exportação.


Mas quando o mercados estavam superabastecidos e os mercados para exportação em problemas, tais companhias não puderam honrar seus compromissos. Isso deve levar, segundo analistas, a uma onda de mais fusões e aquisições no futuro.

balança comercial, falência, importações, panga, Vietnã

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3