Pequeno empreendedor também se beneficia de tecnologia para o setor de pescados

Pequeno empreendedor também se beneficia de tecnologia para o setor de pescados

03 de julho de 2014

arroba publicidade
Apostando na entrega de pratos compostos de sushi, Eliene criou em sua casa um conceito diferente; conheça a história do “Sabor Oriental”

Crédito da imagem: Jeremy Keith

Leo Martins

Andando pela Fispal Food Service, feira ocorrida no ExpoCenter Norte entre os dias 24 e 27 de julho, na cidade de São Paulo, em um dos estandes, me deparei com uma máquina que automática de produção de sushis, equipamento este que em sua demonstração, reuniu alguns curiosos em sua volta. Um destes curiosos estava, particularmente, maravilhado. Tratava-se de Eliene Tatesawa, que juntamente com seu marido, é dona do Sabor Oriental, empresa localizada em sua casa, na cidade de Guarulhos, em São Paulo. Fundado por Eliene há três anos, o restaurante, como o próprio nome sugere, comercializa comida oriental - em especial sushi -, porém, em uma sistemática diferente: somente com entregas de pratos prontos. Trabalhando somente aos sábados e para lojistas, os produtos são entregues por seu filho Caio Tatesawa. Conheça agora um pouco da história do “Sabor Oriental” e veja como pequenos empreendedores de pescados também podem se beneficiar de tecnologias do setor e alavancar ainda mais os negócios.

saborInício do negócio

Eliana conheceu seu marido, que é nissei, no Brasil. E após um ano de relacionamento foram viver no Japão. “Moramos lá por sete anos e nesse período, tivemos um filho, o Caio”, relembra. Ao regressarem ao Brasil, Eliene começou a trabalhar em shoppings, período esse que mais tarde seria importante para a futura ideia do Sabor Oriental. “Trabalhei como vendedora por cinco anos em shoppings. Como a rotina era muito pesada, me cansei e acabei saindo de lá após esse período”, revela.

Então, para não ficar sem trabalho, ela resolveu aproveitar os dotes culinários orientais de seu marido em um novo negócio. A solução encontrada por ambos foi a de fazer yakissoba em sua própria casa para então, vender para outras pessoas em forma de marmita. “Como eu não tinha nenhum cartão de visita, eu ia a cada cliente, com a cara e a coragem, oferecendo nosso yakissoba para as pessoas experimentarem”, confidencia. Sendo assim, aos poucos, Eliene foi angariando alguns pedidos para a primeira remessa de entregas.

Inicialmente, a ideia de Eliene e seu marido era a de anotar todos os pedidos na sexta para que assim, eles fossem entregues no sábado. Na sexta-feira daquela primeira semana, Eliene voltou para casa com 17 pedidos a serem entregues no sábado. E foi justamente no sábado que o negócio começou a dar pinta que poderia dar certo. “No sábado, nosso telefone não parava de tocar! Ficamos muito surpresos com a receptividade da nossa ideia”, recorda. Desta forma, o Sabor Oriental foi crescendo e evoluindo em pedidos. “Em uma das semanas, por exemplo, tivemos um pico de 80 solicitações.”

saeeNasce o “Sabor Oriental”: cardápio cresce e salmão aparece

Atualmente, Eliene explica que o Sabor Oriental cresceu não só em pedidos, mas principalmente na variedade de cardápios. “Hoje, nós oferecemos muitos pratos de cultura oriental, como karê, yakimeshi, tempurá, salmão grelhado e frango xadrez, por exemplo”, enumera. Porém, ela confidencia que o grande sucesso de pedidos é o sushi. “Com toda a certeza, esse é o nosso carro chefe. A grande maioria de nossos clientes solicita o sushi como pedido principal”, comenta.

A particularidade do restaurante de Eliene não se restringe só a entrega de pratos rápidos de sushi hoje, mas também pelo fato do comércio funcionar em sua casa e somente aos sábados. “Só funcionamos aos sábados por causa do meu marido, que é professor de educação física. Como é ele quem faz os pratos, o único dia que podemos trabalhar é esse”, justifica.

Auxiliado por seu filho Caio Tatesawa , o Sabor Oriental trabalha com entregas só para lojistas na região central de Guarulhos e em shoppings como o Center Norte e o D. “Optamos por esse sistema porque trabalhamos somente aos sábados. Além disso, nesse dia, é quando o vendedor enfrenta dificuldade para comer, devido ao alto fluxo de trabalho e por causa dos restaurantes cheios. Para nós é a oportunidade perfeita”, detalha. Já os ingredientes para o sushis, como os peixes e os demais elementos, são comprados por Eliene em grandes atacados.

Novas oportunidades de negócio

ss

A princípio, Eliene foi à Fispal Food Service com o intuito de apenas conhecer e andar pelo evento. Porém, ao se deparar com a máquina automática para a fabricação de sushis, Eliene repensou em como aquele equipamento poderia auxiliar o seu negócio. “Ela seria perfeita! Nos auxiliaria em produção, praticidade e velocidade. Fiquei encantada e com muita vontade de comprar uma”, confidencia.

Ao visitar uma feira de negócios, o “Sabor Oriental” se deparou com novidades que podem fazê-lo crescer comercialmente. E com aumento de produção, de vendas, a cadeia de pescado como um todo se beneficia. O peixe chega a novos consumidores, Eliene cresce o negócio, e os produtores de salmão e de máquinas para o segmento ganham novos compradores. O que precisa ser feito pelo setor é aproximar cada vez mais pequenos empreendedores como Eliene e ajudá-los a crescer e alavancar a cadeia.

empreendedor, fispal, máquina, oriental, sabor oriental, salmão, sushi, yakissoba

 
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3