Pescado tem variação de até 261% no Paraná

Pescado tem variação de até 261% no Paraná

25 de novembro de 2013

arroba publicidade

Crédito da imagem: Jeremy Keith


O pescado comercializado em Maringá, no Paraná,tem variação de preços de até 261,45%, segundo levantamento do Procon. Foram pesquisados 24 itens, entre os dias 8 e 12 de novembro, em nove supermercados e peixarias da cidade. 


O item com a maior variação foi a sardinha espalmada, com preços que variam de R$ 4,98 a R$ 18,00, segundo a pesquisa do Procon. O ranking dos itens pesquisados ainda aponta como as maiores variações de pescado: sardinha evoscerada (221,34%), filé de tilápia (187,58%), filé linguado (175,67%), camarão rosa (165,25%) e camarão sem casca sete barbas(152,22%).


Na outra ponta da tabela, o pintado em posta apresentou variação de 11,17% e o dourado 11,19%. A pesquisa não considerou diferenciação de produtos importados ou nacionais, tamanho, congelados ou frescos.


Meta é que  preços de feira sejam abaixo do mercado


Não só no Paraná o preço do pescado é uma preocupação. Sepaq e Dieese debatem regulação do preço do pescado no Pará.  A ideia é que a Sepaq utilize os dados estatísticos coletados pelo Dieese sobre o preço do pescado para orientar e regular os valores dos peixes comercializados na Feira do Pescado. “A meta é que os preços da feira sejam sempre abaixo do mercado externo”, explica o diretor da Sepaq, Helder Aranha, em comunicado do governo.  


“Mesmo com toda essa quantidade de peixe, o preço final ao consumidor ainda não é o ideal. Precisamos encontrar formas de reduzir o valor desse pescado, principalmente nas feiras que são realizadas pela Sepaq”, explica André Pontes, gestor da secretaria.


A ideia dessa parceria surgiu durante o I Seminário dos Pescadores e Aquicultores do Estado do Pará, que aconteceu nos dias 14 e 15 de outubro, no auditório do Sindicato dos Urbanitários.


 

Dieese, pescado, pesquisa, preço, Procon, sardinha, Sepaq

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3