Ração para pangaBR reforça aposta da indústria de insumos na espécie
Aquicultura

Ração para pangaBR reforça aposta da indústria de insumos na espécie

Produtos desenvolvidos para as fases de crescimento e engorda

02 de julho de 2019

arroba publicidade
A expansão do cultivo do panga no Brasil motivou o Grupo Neovia a introduzir rações para a espécie em duas de suas linhas. A Laguna Pangasius (da Socil) e Nutripiscis Panga (da Presence) se tornam, assim, as primeiras soluções nutricionais para a espécie cultivada no Brasil.
 
O grupo atua em sete setores no mercado mundial: alimentos completos, aquacultura, petcare, premix / firmes-services, aditivos, saúde animal e laboratórios de análises.
 
A empresa defende que os produtos prometem a melhora da eficiência alimentar, otimização dos custos de produção e potencialização do resultado financeiro, por meio de mais ciclos de cultivo e alta performance. “Já foi comprovado a eficácia dessa nutrição no Vietnã, porém resultados estão sendo avaliados nas condições do Brasil, conforme densidade, manejo, qualidade de água, taxa de arraçoamento e etc. Estamos muito otimistas no cultivo dessa espécie que acreditamos ser promissora e de alto potencial”, indicou Daniel Fuziki, gerente de produtos da Socil disse que a análise de digestibilidade dos ingredientes foi feita no Vietnã, mas com matérias-primas do Brasil
 
A ração será comercializada no País em i de 4-6 mm e 6-8 mm para as fases de crescimento e engorda. 
 
Aposta na expansão
O peixe de origem vietnamita vem crescendo em produção nos últimos anos no País. No ano passado o decreto nº 62.243, de 1 de novembro de 2016 - SP e em 2018 RN e SE -, concedeu uma regulamentação de utilização das águas para criação da espécie nestes Estados. 
 
Para entender melhor a cadeia produtiva deste peixe por aqui, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e a antiga Secretaria Especial de Pesca e Aquicultura do Brasil (Seap) enviaram um consultor (leia mais aqui), a fim de desenvolver estudos sobre potencialidades e riscos na piscicultura do panga dentro do Termo de Referência - TR 144, firmado por várias entidades, ainda no âmbito do extinto Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA). 
 
 
Eventos pelo Brasil 
 
O mês de junho ofereceu boas oportunidades para conhecer mais sobre o panga. No dia 12 de junho, o Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (Seaf) realizaram o Workshop Nacional do Pangasius - Edição Piauí
 
Conforme o portal GP1, o encontro serviu para a discussão de assuntos relacionados ao cultivo e mercado do peixe, além de capacitar os piscicultores através de informações importantes para a profissionalização do agronegócio aquícola no Estado e, também a promoção de intercâmbio de conhecimentos e tecnologias para o desenvolvimento da cadeia produtiva e de negócios. 
 
"A inovação tecnológica contribui para o incremento da produtividade e competitividade no setor aquícola. À medida que os piscicultores têm acesso a essas ferramentas, novos negócios podem surgir. E o cultivo de pangasius ou panga tem se mostrado uma alternativa viável e de grande potencial de mercado. Por isso, a importância de apresentarmos as vantagens dessa espécie para os piscicultores piauienses", afirma o analista do Sebrae no Piauí, João Pinheiro.
 
Na mesma semana, no dia 14, Maranhão recebeu I Curso Teórico de Capacitação para o Cultivo do pangasius, realizado em parceria com a Piscicultura Aquapesc, a Associação Brasileira de Criadores de Pangasius (ABC PANGA) e apoio do Sebrae. O evento foi ministrado pela Profa. Dra. Luciana Seki Dias, da Universidade Federal de São Carlos e Pedro Etelvino, gerente nordeste da empresa Socil. 

 

 

Crédito da imagem: Raita Futo/Flickr

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3