Zoetis entra na aquicultura nacional com vacina para tilápia
Aquicultura

Zoetis entra na aquicultura nacional com vacina para tilápia

Empresa já comercializa no País a vacina contra Streptococcus agalactie 1b

10 de setembro de 2020

arroba publicidade
Quatro anos atrás, a Pharmaq anunciou durante a Aqua Nor o plano de atuar na aquicutura brasileira. A gigante mundial da vacinação, parte do grupo Zoetis, levou a cabo o plano com diversas etapas que resultaram no registro no Mapa de uma nova vacina para Streptococcus agalactie 1b. Conforme antecipou à Seafood Brasil o chefe da Pharmaq para a América do Sul, Guillermo Staudt, na edição da feira norueguesa do ano passado. 
 
Na época, o executivo projetava que a vacina estaria no mercado brasileiro ainda no final daquele ano, mas a concretização do projeto inicial só foi possível em 2020, como revelou Renato Verdi, diretor da Unidade de Negócios Aves, Suínos e Peixes da Zoetis.
 
Conforme ele, a vacina para Streptococcus agalactie 1b já está disponível no mercado. A vacina é a primeira etapa dos planos da empresa no segmento nacional. Além da linha de medicamentos, a Zoetis também vai trabalhar com vacinação automatizada. “A otimização de processos traz muitos benefícios ao produtor e ao negócio”, destacou Verdi.
 
“É possível trabalhar com equipe reduzida e ter mais assertividade, não apenas na vacinação como também na contagem e classificação dos peixes. No processo automatizado, a manipulação é reduzida”, explicou. Segundo Verdi, a Zoetis já utiliza essa técnica para salmão e sea-bass, e em breve deverá trazê-la ao Brasil. “Será o primeiro país a realizar vacinação automática em tilápias”, falou.
 
O diretor também explicou que a pandemia do novo coronavírus não interferiu nos planos da empresa para aquicultura no Brasil, que deverá ser de longo prazo, assim como aos demais animais de produção. “A atividade econômica do setor tem sido menos impactada pela crise e acreditamos que a retomada a elevados patamares de produção seja breve”, disse.
 
A vacina é fabricada na Noruega e já passou por testes clínicos bem-sucedidos, segundo indicou na Aqua Nor a diretora de desenvolvimento do produto, Edel Anne Norderhus. "Fizemos um teste clínico em Florianópolis (SC) para avaliar como o peixe vacinado reagiu diante da exposição a bactéria isolada e a vacina provou ser efetiva para protegê-lo [contra a enfermidade]". 
 
A Pharmaq também comercializa máquinas de vacinação, que estavam em exposição na feira, além de fazer uma avaliação criteriosa do plantel para evitar desperdícios, conforme Staudt.  "Estamos trabalhando com os clientes não só para fornecer um produto, mas ajudando-os a identificar quais animais devem ser vacinados. Não adianta gastar dinheiro com animais inviáveis [que não crescerão]", falou
 
Staudt ainda revelou que fazem parte dos planos para o Brasil a circulação de uma divisão para diagnósticos, se o mercado assim demandar.
 
Além de Verdi, o time de aqua da Zoetis no Brasil conta com Danielle Damasceno, Gerente Técnica e de Vendas e Vanessa Nogueira, Coord Mkt e Eventos.
 
 

Edel Anne Norderhus, Guilhermo Staudt, Pharmaq, Renato Verdi, Streptococcus agalactie 1b, Zoetis

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3