BioMar chega a 1 milhão de toneladas de ração com microalgas
Aquicultura

BioMar chega a 1 milhão de toneladas de ração com microalgas

Produto substitui óleo de peixe extraído de peixes de captura como fonte de ômega-3 na nutrição de peixes

13 de setembro de 2021

A fabricante de rações BioMar anunciou ter produzido mais de 1 milhão de toneladas de alimentos aquáticos com microalgas em vez de óleo de peixe como a principal fonte de óleos ômega-3.
 
A inclusão de microalgas nas dietas alimentares da aquicultura procura aliviar a exploração de estoques de peixes selvagens e ir  direto para a fonte original de ômega-3 essenciais. “Isso ajuda a aliviar a pressão em nossos oceanos, garantindo que os peixes recebam a nutrição ideal necessária”, disse Vidar Gundersen, diretor de sustentabilidade global do Grupo BioMar, em um comunicado à imprensa.
 
O processo de inovação começou em 2013 com a primeira microalga AlgaPrime sendo incluída em rações comerciais de salmão  durante o ano de 2016. Os primeiros impulsionadores foram Kvarøy Fiskeoppdrett com Blue Circle e Whole Foods e Scottish Sea Farms com Marks & Spencer.
 
Não muito depois, a Ventisqueros, em seu coho Silverside, e a Lerøy, em seu salmão, adotaram microalgas em  suas dietas. Esses volumes mais altos ajudam a atingir a viabilidade comercial e, hoje, a inclusão de microalgas está se tornando mais comum nas rações de salmão da BioMar.
 
A BioMar anunciou recentemente uma meta ambiciosa de 50% de ingredientes circulares e / ou restauradores em suas dietas de ração para aquicultura até 2030. A empresa acredita que as microalgas são um dos vários ingredientes novos no pipeline de inovação da BioMar.
 
"Com recursos planetários limitados, a necessidade de desacoplar as cadeias de abastecimento de alimentos para a aquicultura da competição direta com os alimentos para consumo humano aumentará", diz a empresa.

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3