BTJ AQUA entra no food service de olho em toneladas de tilápia em 2022
Food Service

BTJ AQUA entra no food service de olho em toneladas de tilápia em 2022

Parceria com a Galunion veio para auxiliar no planejamento estratégico da BTJ AQUA nos próximos anos

20 de janeiro de 2022

arroba publicidade
Um dos planos da estratégia da BTJ AQUA era iniciar a comercialização de tilápia para o mercado de Food Service. Para isso, a empresa familiar comandada por quatro irmãos da família Torquato Junqueira Franco, Felipe, Thiago, Manuela e Henrique, com a mentoria do pai, Celso, firmou uma parceria com a Galunion Consultoria, especializada no mercado de alimentação fora do lar. 
 
O objetivo era estruturar o negócio para um âmbito mais estratégico, mapeando oportunidades de outros produtos relacionados à proteína do peixe. Hoje, o principal produto é o filé de tilápia, mas há vários outros cortes que não são muito aproveitados no Brasil. 
 
Graças ao trabalho desenvolvido com a consultoria, foram traçados planejamentos e parcerias junto a outras empresas, para desenvolver outros cortes que não tinham um valor significativo na cadeia produtiva do mercado de alimentação. Dessa forma, foi feito um estudo com base na visão estratégica e global, buscando um novo posicionamento de mercado e de marca para que a BTJ AQUA pudesse fazer um atendimento de qualidade às marcas de Food Service que atuam no Brasil.
 
Segundo Felipe Torquato Junqueira Franco, diretor da BTJ FOODs, braço frigorífico do grupo, a trajetória da família é focada no agronegócio. Tudo começou em 2012, quando o pai entrou para a sociedade na piscicultura Fish Company, em Sud Mennucci, cidade do interior do estado de São Paulo.
 
Para que todos pudessem trabalhar juntos, seguindo os passos e a trajetória do empresário no setor, a família deu início ao mapeamento de possíveis sucessores da terceira geração, em 2016. A inciativa de somar forças dos irmão foi fruto de um processo de coaching e o resultado foi a abertura da BTJ AQUA, em 2018.
 
A empresa foi criada para expandir os negócios da família no segmento da aquacultura, devido a experiência prévia dos líderes neste ramo. Nos anos de 2019 e 2020, foram inauguradas três fazendas de produção de tilápia e um frigorífico, localizados na região de Ilha Solteira, Sud Mennucci e Santa Clara do Oeste, em São Paulo, além do back office implantado em Ribeirão Preto, também no estado paulista.
 
“Atuamos em duas atividades no segmento de pescados, tanto na produção quanto no processamento da tilápia. Hoje são mais de 210 funcionários que fazem parte da empresa. A experiência do meu pai com a tilápia deu base para entendermos sobre a produção deste peixe e montar um plano de negócios", falou. 
 
"Escolhemos a tilápia, devido a rentabilidade histórica, por se tratar de uma proteína extremamente eficiente, com uma pegada sustentável interessante e levando em consideração o momento atual, em que o mundo começa a demandar por alimentos mais nobres e saudáveis", comentou.
 
Conforme ele, a tilápia tem essas características, por ser uma proteína versátil e suave. "Ela entra no prato dos brasileiros como o peixe do dia a dia, ao lado do bife e do filé de frango, não sendo mais apenas uma opção de nicho. Estamos falando de um segmento relativamente novo se comparado a outras proteínas como suíno, bovino e aves, então há um grande potencial a ser explorado. Trabalhamos institucionalmente para promover um crescimento em tecnologia, desempenho zootécnico, melhoramento genético, além de novas práticas para aprimorar o manejo e a criação de valor na cadeia produtiva como um todo”, revela Felipe.
 
Parceria
 
A parceria com a Galunion, por exemplo, veio para auxiliar no planejamento estratégico da BTJ AQUA nos próximos anos. Como o Food Service é um segmento mais exigente e o que mais reconhece valor em um produto de qualidade, o primeiro passo da consultoria foi mapear processos para que a marca apresentasse um produto de qualidade e um bom atendimento ao consumidor.
 
Em 2020, o início do trabalho foi baseado no produto e em algumas estratégias comerciais, apoiando todo o processo de estruturação para a BTJ AQUA atender o mercado de alimentação. Entre os resultados, há a conquista de novos clientes, a fidelização dos que já faziam parte da carteira, maior valorização no mercado, começando a se destacar pela qualidade e pelo atendimento, além de ter uma diferenciação no valor reconhecido da tilápia.
 
“Anualmente, conseguimos registrar um aumento de 30% nas vendas, com ações diferenciadas e visão de mercado, mas notamos que, apesar de termos um aumento significativo nos últimos três anos, conseguimos crescer com maior solidez e rentabilidade”, explica Felipe.
 
Segundo o sócio e diretor da Galunion, Julio Camargo, houve uma adequação de processos. Uma das novidades propostas pela consultoria foi a implantação de um sistema de congelamento diferenciado, usado em cozinhas industriais, que permite uma escala maior na produção e abastecimento da tilápia.
 
“Foram feitos alguns testes e degustação, avaliando os principais pontos, a qualidade do pescado, textura, sabor, coloração, entre outros parâmetros. Também foi criado um procedimento interno para que todos os lotes passem por uma análise sensorial. Isso é tabulado e compõe uma série histórica, permitindo que a empresa avalie como está a evolução da qualidade do produto sensorialmente", comenta.
 
"Tudo isso, para correlacionar com todo o manejo, desde o bem-estar animal, qualidade de ração, tempo de processo e o processo em si dentro da planta frigorífica, para oferecer um peixe de alta qualidade”, completa.
 
Atualmente, a BTJ AQUA produz 10 mil toneladas de tilápia por ano. Deste volume, 50% são comercializados in natura. A outra metade vai para o frigorífico e, dessas 5 mil toneladas, a empresa comercializa 1.650 toneladas de filé anualmente.
 
De acordo com Felipe, os planos para 2022 estão focados no crescimento da produção. “Para o ano que vem, investimos em uma máquina de processamento automatizado de filé de tilápia, que é uma aposta no setor e pode se tornar uma revolução para este mercado. Com isso, as perspectivas são de que passemos de 20 a 24 toneladas para 36 toneladas por dia de processamento. Ou seja, a projeção é de fechar o ano com a produção de 13 mil toneladas de peixe”, projeta.
 
Para isso, as tilápias são cultivadas em grandes reservatórios com água corrente e limpa, que proporcionam oxigênio em abundância, essencial para a qualidade e para o bem-estar animal. Além disso, a planta frigorífica conta com inspeção SISP (Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal).
 
A BTJ AQUA também rastreia todo ciclo do peixe, desde o nascimento, a dieta, o local de produção e o processamento, até a distribuição. Em menos de 30 minutos, a proteína, que não contém espinhos, é processada e embalada. A equipe efetua um controle de qualidade durante todo o processo.
 
“Com a consultoria, saímos um pouco da operação do dia a dia e tivemos a chance de verificar novas oportunidades, por meio de uma visão a longo prazo. Não vemos o trabalho da Galunion como algo que tem começo, meio e fim, pois acreditamos que eles serão parceiros do nosso trabalho em projetos futuros. Graças aos ensinamentos que conquistamos neste período, lançaremos a primeira versão do nosso planejamento estratégico", pontua.
 
Ele destaca que durante o mês de novembro, todos os membros da diretoria se internalizaram para a elaboração do plano para os próximos cinco, 10 e 20 anos. "Tudo isso foi feito olhando para o nosso negócio e o futuro, com base em oportunidades, novos projetos, gestão de risco, governança corporativa e conceitos ligados a agenda ESG. Temos muito trabalho a ser feito e algumas novidades previstas para serem anunciadas em breve”, finaliza o diretor da BTJ AQUA.
 
 
 

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3