Preço dos alimentos no mundo atinge índice mais alto em 10 anos
Varejo

Preço dos alimentos no mundo atinge índice mais alto em 10 anos

Índice calculado pela FAO mostra aperto nas condições de oferta e pela robusta demanda por alimentos básicos

08 de outubro de 2021

arroba publicidade
O Índice de Preços de Alimentos, calculado pela FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação), alcançou o nível mais alto em 10 anos, atingindo a média de 130 pontos em setembro. O indicador representa uma alta de 32,8% em comparação ao mesmo período do ano passado e  1,2% a mais que em agosto.
 
Os preços mundiais das commodities alimentares subiram, liderados pelo aperto nas condições de oferta e pela robusta demanda por alimentos básicos como os principais cereais, como o trigo e óleo de palma. Conforme a organização, o Índice de Preços de Cereais em setembro aumentou 2,0% em relação ao mês anterior, com os preços mundiais do trigo subindo quase 4% - e até 41% - devido ao estreitamento das disponibilidades de exportação em meio à forte demanda. 
 
Os preços mundiais do arroz também subiram em setembro, enquanto os do milho aumentaram moderadamente 0,3% - uma média de 38% mais alta com relação ao ano anterior.
 
Já o Índice de Preços do Óleo Vegetal subiu 1,7% no mês - e cerca de 60%  a partir de setembro de 2020 - quando os preços internacionais do óleo de palma atingiram o máximo em 10 anos devido à robusta demanda global de importação e preocupações com a escassez de mão de obra migrante que afeta a produção na Malásia. Os preços mundiais do óleo de colza também subiram acentuadamente, enquanto as cotações do óleo de soja e girassol caíram.
 
O Índice de Preços de Carne da FAO ficou praticamente inalterado em setembro em relação ao mês anterior e aumentou 26,3% em uma base anualizada. As cotações das carnes ovina e bovina aumentaram devido às condições de oferta restritas, enquanto as de aves e suínos diminuíram em meio a amplos volumes de oferta global da primeira e à menor demanda da segunda na China e na Europa.
 
Créditos: Pixabay

alimentos, FAO, inflação, Índice de preços, preços

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3