Anuário PeixeBR: piscicultura brasileira cresceu 4,5% no ano passado

Anuário PeixeBR: piscicultura brasileira cresceu 4,5% no ano passado

21 de fevereiro de 2019

arroba publicidade
Em uma análise sobre os dados gerais do Anuário 2019 versus 2018 da Associação Brasileira da Piscicultura (PeixeBR), o aumento de 4,5%  na produção de peixes de cultivo no Brasil em 2018 foi o que mais se destacou.

O presidente executivo da associação, Francisco Medeiros, apresentou os números que apontaram a produção de 722.560 toneladas de peixes de cultivo ano passado, enquanto em 2017 o número esteve em 691.700 toneladas.

Segundo a PeixeBR, os processos de regulamentação, greve dos caminhoneiros, problemas sanitários, mercadológicos e climáticos foram os principais obstáculos encontrados pela atividade no período.

A evolução da piscicultura por Região manteve o Sul liderando com 198.600 toneladas, um crescimento de 11,3 % sobre as 178.500 toneladas do ano retrasado.  O Norte segue em 2º lugar com 153.020 toneladas, mas teve uma queda de 7% em relação a 2017.

O Nordeste foi a Região que mais cresceu com uma evolução de 20,6%: foram  134.330 toneladas no ano passado. Já o Sudeste ficou no 4ª lugar do ranking, com 124.120 toneladas produzidas em 2018, ou seja, 7,6% a mais do que as 115.300 toneladas do ano retrasado.

A queda de 7,8% na produção do Centro-Oeste derrubou o pólo para a última colocação com 112.490 toneladas em 2018, enquanto em 2017 o número fechou com 122.000 toneladas.



A tilápia foi a espécie que apresentou maior crescimento no Anuário 2019. Se em 2017 ela representava 51,7% da produção total de peixes de cultivo, com 357.639 toneladas, em 2018 passou para 55,4%, com 400.280 toneladas.

O salto foi de 11,9% no último ano, fazendo o País se manter na 4ª posição mundial de produção da espécie, atrás da China, Indonésia e Egito.

Espécies nativas

Já entre os peixes nativos, o tambaqui lidera a produção apesar da queda de 4,7% em 2018.

Se em  2017 a representação do segmento era 43,7%, no ano passado este número teve uma queda, fechando em 39,84% da produção total com 287.910 toneladas.

A atividade é liderada por Rondônia e seguida por Mato Grosso. Os cinco maiores Estados produtores foram responsáveis por 199.700 toneladas, o que representa 69,4% da oferta total.

De acordo com a associação, fatores climáticos, sanitários e mercadológicos nos principais Estados produtores são apontados como as principais causas que interferiram no desempenho da produção de peixes nativos no ano passado.

No segmento "outras espécies", o levantamento diz que a produção foi modesta com 34.370 toneladas, mas tem potencial para crescimento a médio prazo.  Sua participação foi de 4,6% da produção total de peixes de cultivo em 2018.

Anuário PeixeBR da Piscicultura, Francisco Medeiros, PeixeBR, peixes nativos, piscicultura, tambaqui, tilápia

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3