Índia fatura US$ 3,76 bilhões com exportação de camarão para os EUA nos últimos três anos

Índia fatura US$ 3,76 bilhões com exportação de camarão para os EUA nos últimos três anos

Estudo divulga o total acumulado de milhões de dólares de 2016 a 2018 na atualização estatística do comércio global do crustáceo

29 de março de 2019

arroba publicidade
A publicação mensal Globefish, com estimativas da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO/ONU), divulgou que a Índia faturou cerca de US$ 3,76 bilhões com exportação para os EUA entre janeiro de 2016 e agosto de 2018, segundo a atualização estatística do comércio global de camarão.

O estudo enfoca as tendências nos fluxos de comércio para os principais grupos de produtos e os comerciantes mais importantes usando dados disponíveis mais recentes. Na análise do faturamento com a exportação do crustáceo em 2016, a Índia ganhou US$ 1,5 bilhão dos EUA; US$ 735,97 milhões do Vietnã e US$ 310,16 milhões com o Japão.

No mesmo período a Indonésia faturou US$ 1,0 bilhão com os EUA e US$ 337,15 milhões com o Japão. Enquanto a Tailândia ganhou US$ 836,94 milhões dos EUA; US$ 446,97 milhões vieram do Japão e US$ 134,97 milhões do Vietnã.

Em 2017 a Índia, Indonésia e Tailândia continuaram com a liderança na atividade. Só a Índia conseguiu US$ 2,22 bilhões em exportação para os EUA; US$ 1,16 bilhão para o Vietnã e US$ 351,93 milhões com o Japão.

Na mesma época a Indonésia arrecadou US$ 1,16 bilhão com os EUA, US$ 347,84 milhões do Japão e US$ 31,67 milhões do Reino Unido. A Tailândia ficou com o terceiro lugar do ranking ao adquirir US$ 832,95 milhões com os EUA; US$ 439,46 milhões vindos do Japão e US$ 142,25 milhões do Vietnã.

[caption id="attachment_10937" align="alignnone" width="870"] Fluxos do comércio exportador e importador de camarão no total acumulado em milhões de US$ entre janeiro e agosto de 2018[/caption]

Em 2018 a ordem de faturamento manteve a Índia em primeiro, a Indonésia seguiu em segundo lugar e o Equador assumiu a terceira colocação. No ano a Índia ganhou US$ 1,38 bilhão dos EUA; US$ 689,84 milhões com o Vietnã e US$ 208,03 milhões com o Japão. Os EUA renderam US$ 760,06 milhões para a Indonésia e o Japão foi responsável por US$ 225,75 milhões ao país e a Holanda com US$ 28,94 milhões.

O Equador entrou no pódio ao faturar US$ 368,46 milhões em exportação só para os EUA; US$ 837,83 milhões para o Vietnã e US$ 354,4 milhões para a China.

Oferta estável

O relatório de março de 2019 da European Fish Price Report também da FAO/ONU disse que os preços das matérias-primas para o camarão começaram a aumentar, embora a oferta ainda seja relativamente estável no mundo.

Segundo o documento, os volumes são limitados em certas regiões da Indonésia e a mancha branca está se tornando um problema em algumas áreas.

Os camarões argentinos estão com as vendas lentas na Europa porque os compradores estão segurando os estoques. Ainda assim, os estoques não são excessivos e o camarão congelado em terra está escasso. No país o clima de negócios é caracterizado pela demanda lenta e os preços subiram 0,10 euros por kg para todos os tamanhos.

De acordo com a publicação, a produção de camarões congelados em terra está próxima do fim, embora ainda se verificam chegadas de navios que pescam no Norte, fora da proibição aplicada abaixo do 41º paralelo.

camarão, camarão argentino, European Fish Price Report, exportação, FAO/ONU, Globefish, importação, Lampung

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3