O que fazer para aumentar a venda de pescado em restaurantes?
Food Service

O que fazer para aumentar a venda de pescado em restaurantes?

A venda em restaurantes depende muito do aumento da venda de pescado em geral

Percival Maricato - 22 de maio de 2019

arroba publicidade
Volta e meia uma indústria de pescado faz uma ou outra promoção visando aumentar a venda do produto em restaurantes. É fato que a venda de pescado nesses ambientes é muito menor do que o potencial que apresenta. São cerca de um milhão de estabelecimentos e a maioria sequer tem um prato de peixes no cardápio. Mas o fato é que a venda em restaurantes depende muito do aumento da venda de pescado em geral.
 
Potencial de maior venda existe sim, pois o pescado tem sabor, preço, é nutritivo, mais que a média dos demais produtos disponíveis, e é acessível. Justo que se procure explicações.
 
A primeira é a questão cultural. Os povos acostumam-se com determinadas culinárias e mudar produtos não é fácil. No Brasil, consome-se muito menos peixe do que em outros países. E isso apesar da abundância de rios e a imensa costa marítima. Para vender mais temos que mudar a cultura, o que pode ser feito por estratégias de comunicação e educação, trabalho junto a nutricionistas, promoções em entidades de supermercados e restaurantes, escolas de gastronomia, jornalistas do setor e formadores de opinião em geral.
 
Um trabalho desse porte não se faz só com promoções eventuais e com empresas isoladas. Só haverá mudança se toda a indústria, ou boa parte dela, se envolver em um planejamento estratégico, ações de curto, médio e longo prazo. Há fôlego para tanto? Disposição? Enquanto isso não estiver pronto, as promoções eventuais podem manter o nível de vendas, nada mais.
 
Há que pelo menos se discutir a possibilidade desse plano. Os agentes a serem atingidos são os acima relacionados e dali se partiria para o público em geral, ao mesmo tempo que por técnicas de publicidade se procuraria atingir toda a população (mais saboroso, mais nutritivo, mais saudável, preços compatíveis, compensadores, mantenha o peso e energias, opção pelo menos uma vez por semana, garanta a qualidade de vida etc).
 
Da maior venda em restaurantes
 
No caso dos restaurantes, pode-se fazer estratégias específicas, entre elas a maior divulgação em meios de comunicação do setor, nos encontros e congressos de empresários (e nutricionistas, chefs) nas feiras especializadas, como a Fispal. Nesses locais/meio se encontram os formadores de opinião.
 
A Abrasel por exemplo, é uma entidade nacional, tem seccionais em todas as capitais, dezenas de regionais nas grandes cidades, todas com meios de comunicação (boletins), acesso a empresários e sócios, um potencial imenso para divulgar tais produtos.
 
As promoções podem ser feitas ainda diretamente em restaurantes, com prioridades para os populares, em vez de apenas nos de alta gastronomia.
 
Sendo possível, conjuntamente com as promoções deve-se fazer campanhas publicitárias, atingindo o grande público. Hoje em dia há mídias virtuais, muito eficientes e baratas.
 
Outros meios e públicos podem ser envolvidos. As empresas de delivery são formadoras de opinião, atualmente respondem por mais de 10% das vendas. Exigem porém agilidade, estratégia e embalagens específicas. Mas o potencial é enorme.
 
Há ainda os chefs de cozinha e os nutricionistas, que merecem atenção especial, workshops, cursos, preferencialmente junto a escolas ou entidades. Há milhares de bares que podem servir petiscos de peixe, saborosos, com preços honestos. Por que não o fazem?
 
Enfim, o potencial de vendas de muito mais pescados existe. O importante é definir estratégia, promoções e fazê-las acontecer.
 
Crédito da foto: Alaska Seafood Marketing Institute

Sobre Percival Maricato
 
  • Consultor, palestrante, advogado, escritor, empresário e presidente da Abrasel SP
 
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3