Ferramenta genômica da Embrapa faz análise de linhagem de camarão
Aquicultura

Ferramenta genômica da Embrapa faz análise de linhagem de camarão

VannaPlus testa a paternidade, o parentesco e faz a identificação individual para o camarão cinza

28 de abril de 2021

arroba publicidade
Uma ferramenta genômica desenvolvida por pesquisadores da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (DF) e da Embrapa Informática Agropecuária (SP), irá auxiliar a cadeia produtiva do camarão cinza (Litopenaeus vannamei) em programas de melhoramento genético e, principalmente, na identificação do pedigree de camarões de múltiplas famílias criados em tanques de engorda. O VannaPlus terá um grande desafio, já que não é possível marcar individualmente cada animal com os métodos convencionais utilizados em outros setores da produção animal.
 
Já disponível aos interessados em otimizar cruzamentos para manutenção de linhagens genéticas, o VannaPlus é mais um ativo tecnológico que testa a paternidade, o parentesco e faz a identificação individual para o camarão cinza.
 
A ferramenta foi desenvolvida pelos pesquisadores Alexandre Caetano e Patrícia Ianella, com a participação do pesquisador Michel Yamagishi e da equipe do Laboratório Multiusuário de Bioinformática (LMB) da Embrapa. 
 
O laboratório conta com uma infraestrutura computacional de alto desempenho que tem sido aplicada em análises de bioinformática para o desenvolvimento dos ativos da Plataforma AquaPlus.
 
Com base em painel de marcadores SNP (sigla em inglês para Single Nucleotide Polymorphisms) de baixa densidade, o VannaPlus permite a produtores de larvas fazerem o manejo de plantel de reprodutores, reduzindo os riscos de cruzamentos indesejáveis para o criatório produzir mais e melhor. “Além de proporcionar soluções para o manejo genético de reprodutores e reduzir os cruzamentos endogâmicos, a ferramenta pode auxiliar os programas de melhoramento nos processos de avaliação, seleção e cruzamento e, dessa forma, racionalizar a aquisição e venda de germoplasma entre produtores”, comenta Ianella. 
 
Os cruzamentos entre animais aparentados, chamados endogâmicos, resultam em proles mais sujeitas a problemas genéticos como má-formação e mesmo baixo desempenho zootécnico. O  uso do VannaPlus permitirá ao produtor identificar animais geneticamente distantes e recomendar cruzamentos com maior probabilidade de sucesso. A tecnologia também promoverá a agregação de informação e valor ao mercado de matrizes da carcinicultura (a criação de camarões em cativeiro).
 
Alexandre Caetano conta que, a exemplo das demais espécies de interesse aquícola, a marcação e a identificação individual do camarão apresentam enormes desafios para o manejo genético dos reprodutores porque as formas jovens desses animais são milimétricas e não podem ser marcadas com métodos convencionais. 
 
Além disso, o camarão passa por um processo de troca do exoesqueleto (da carapaça) durante o crescimento. O VannaPlus resolve essa dificuldade com baixo custo e rapidez. O cientista informa que atualmente a Embrapa tem capacidade de processar e analisar duas mil amostras por semana e em breve deverá dobrar esse volume.
 
Os cientistas ressaltam que o VannaPlus não possui concorrentes diretos no mercado: a tecnologia semelhante existente é bem mais cara, além de apresentar outros aspectos que acabam pontuando a favor do teste desenvolvido pela Embrapa. Enquanto o teste desenvolvido pela equipe utiliza 96 marcadores SNP, o outro ativo se vale de um painel que tem mais de seis mil SNP, ou seja, número pelo menos 60 vezes maior do que o necessário para realização das mesmas análises que faz o VannaPlus. 
 
 
Créditos da imagem: Pixabay

Alexandre Caetano, camarão cinza, Embrapa, Michel Yamagishi, Patrícia Ianella, VannaPlus

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3