Mar de oportunidades
Aquicultura

Mar de oportunidades

Leia o artigo completo de Itamar no 7º Anuário Seafood Brasil de Produtos, Serviços e Conteúdo

25 de novembro de 2021

Por: Itamar Rocha, presidente da Associação Brasileira de Criadores de Camarões (ABCC) 
 
Depois de ocupar posição de destaque, tanto na produção como nas exportações, incluindo a liderança mundial de produtividade e o 1º lugar das importações de camarão pequeno e médio dos EUA (2003), bem como o de camarão tropical da União Europeia (2004), o camarão cultivado do Brasil perdeu um mar de oportunidades econômicas e financeiras ao deixar de explorar seu potencial natural. No entanto, ainda há tempo para agir e se recuperar.
 
É bom lembrar que mesmo após ter chegado ao fundo do poço em 2016 com somente 60 mil toneladas, o setor, apesar dos percalços da Covid-19, conseguiu crescer 24,44% (112 mil toneladas/2020) em relação às 90 mil toneladas de 2019.
 
Inclusive, em um horizonte temporal que se analisa o desempenho dos principais produtores, exportadores e importadores mundiais de camarão marinho cultivado até 2025, a explicação do nosso inconformismo é encontrada. Ela está associada ao fato de que, a despeito das suas vantagens competitivas e comparativas, mesmo diante das projeções de que a demanda mundial não será atendida, em 2021, o camarão cultivado do Brasil não está sendo considerado nem no contexto da produção ou exportações. 
 
Leia o artigo completo de Itamar no 7º Anuário Seafood Brasil de Produtos, Serviços e Conteúdo.
 
Créditos: Divulgação
 

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3