Para entrar na produção de salmão, JBS precisará brigar por Huon
Aquicultura

Para entrar na produção de salmão, JBS precisará brigar por Huon

Canadense Cooke Aquaculture confirmou seu interesse em comprar a Huon Aquaculture

19 de agosto de 2021

Desde que a JBS anunciou seu interesse pela Huon Aquaculture, empresa de criação de salmão com sede na Tasmânia, Austrália, a gigante da proteína animal tem encontrado dificuldades para concretizar a negociação.
 
Primeiro, a processadora brasileira encontrou dificuldades com Andrew “Twiggy” Forrest , que usou sua participação minoritária na Huon para pressionar por padrões ambientais mais elevados. Agora, como conta a Seafood Source, a Cooke Aquaculture confirmou seu interesse em comprar a Huon Aquaculture. 
 
No caso com  Andrew “Twiggy” Forrest, a JBS lançou uma licitação paralela pelo controle da empresa que busca uma condição de aceitação mínima de 50,1%. Em um aviso arquivado na Bolsa de Valores australiana em 17 de agosto, Huon anunciou que a JBS aumentou sua participação para 40,53% do poder de voto da empresa.
 
Nesta quinta-feira, 19 de agosto, o presidente e CEO da Cooke Aquaculture, Glenn Cooke, disse ao The Mercury Tasmânia, da Austrália, que a Cooke Aquaculture também está de olho na Huon.
 
A Cooke Aquaculture  é uma empresa canadense de frutos do mar com sede em Blacks Harbour, New Brunswick, e que teve CAD 2,4 bilhões (US $ 1,9 bilhão, EUR 1,6 bilhão) em vendas em 2018. “Como empresa estabelecida, a Huon tem uma grande promessa de continuar produzindo salmão de renome mundial e aproveitar a talentosa força de trabalho da piscicultura da região”, disse Cooke ao Mercury.
 
Questionado pela Seafood Source sobre informações adicionais  do interesse de Cooke em Houon, o vice-presidente de Relações Públicas da Cooke, Joel Richardson, disse que não tinha comentários.
 
O Mercury relatou que Cooke contratou a empresa de consultoria corporativa Kidder Williams em Melbourne, na Austrália, e seu fundador David Williams - o ex-proprietário da empresa de criação de salmão com sede na Tasmânia, Tassal - como consultor em seu esforço para adquirir a Huon. 
 
Ele também relatou que Cooke havia manifestado interesse em Huon no início de 2021, mas foi superado pela JBS. Williams disse ao Mercury que não espera que a JBS receba a aprovação do Conselho de Revisão de Investimentos Estrangeiros da Austrália, que é encarregado de avaliar propostas de investimento estrangeiro e monitorar negócios controlados por estrangeiros que operam no país.
 
“O que a Tasmânia realmente precisa no momento é um par de mãos seguras, um operador experiente que possa levar a indústria para o próximo nível ... e é a melhor prática mundial”, disse Williams.
 
O copresidente da Aliança Tasmaniana para a Proteção Marinha, Peter George, escreveu ao presidente da FIRB, David Irvine, instando-o a “usar seus poderes de revisão de investimento estrangeiro para rejeitar a proposta de aquisição” da Huon pela JBS. 
 
Mas, George disse que sua organização se opõe a toda a agricultura baseada no oceano e descreveu Cooke como "uma versão mais bonita da JBS'' e que "ainda estava comprometida com as operações baseadas no mar".
 
Pressão por todos os lados
 
A Seafood Source conta que a JBS também está enfrentando pressão nos Estados Unidos, onde dois poderosos senadores norte-americanos convocaram a secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, para iniciar uma investigação sobre a empresa.
 
O senador norte-americano Bob Menendez (D-New Jersey), presidente do Comitê de Relações Exteriores do Senado, e o senador americano Marco Rubio (R-Flórida), o membro republicano do comitê, solicitaram que Yellen investigue se a JBS usou os recursos de um esquema de suborno para expandir suas operações nos EUA, de acordo com The Hill .
 
A JBS, proprietária da Pilgrim's Pride and Swift & Co. nos Estados Unidos, pagou uma multa de US $ 256 milhões (EUR 218,8 milhões) ao Departamento de Justiça dos EUA em outubro de 2020 para liquidar as acusações de violação da Lei de Práticas de Corrupção no Exterior (FCPA). 
 
Essas acusações vieram em resposta aos coproprietários da JBS e irmãos Wesley Batista e Joesley Batista admitindo que a empresa pagou US $ 150 milhões (EUR 128,2 milhões) para subornar mais de 1.800 funcionários do governo brasileiro para garantir US $ 1,3 bilhão (EUR 1,1 bilhão) em empréstimos de Banco Brasileiro de Desenvolvimento e fundos de pensão federais. Os Batista têm um patrimônio líquido combinado de quase US $ 6 bilhões (EUR 5,1 bilhões), de acordo com a Bloomberg .
 
“Quando empresas estrangeiras se beneficiam de práticas corruptas e as disseminam nos mercados dos EUA, elas colocam em risco nossa segurança econômica, apresentam riscos diretos para nossos negócios e minam nossos esforços para combater a corrupção no exterior”, escreveram os senadores em uma carta a Yellen. “Com a JBS planejando novas aquisições nos Estados Unidos em um futuro próximo, a necessidade de uma investigação completa é urgente.”
 
Separadamente, a JBS USA e a Pilgrim's Pride pagaram mais de US $ 100 milhões (EUR 85,5 milhões) cada em multas no início deste ano para liquidar os encargos que fixaram os preços de aves e suínos vendidos nos Estados Unidos, de acordo com a Food-Dive .
 
Créditos: Huon Aquaculture

Andrew “Twiggy” Forrest, aquicultura, Cooke Aquaculture, Huon Aquaculture, JBS

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3