Plano Safra terá total de R$ 251,2 bi e pequenos acessarão 19% a mais
Institucional

Plano Safra terá total de R$ 251,2 bi e pequenos acessarão 19% a mais

Financiamentos poderão ser contratados de 1º de julho de 2021 a 30 de junho de 2022

23 de junho de 2021

arroba publicidade
O Plano Safra 2021/2022 vai contar com R$ 251,22 bilhões para apoiar a produção agropecuária nacional. O valor reflete um aumento de R$ 14,9 bilhões (6,3%) em relação ao Plano anterior e os pequenos  produtores acessarão 19% mais recursos. O Plano foi lançado oficialmente pelo Governo Federal nesta terça-feira (22) .
 
Do total, R$ 177,78 bilhões serão destinados ao custeio e comercialização e R$ 73,4 bilhões serão para investimentos. Os recursos destinados a investimentos tiveram aumento de 29%. 
 
“Nas próximas décadas, a produção agrícola mundial deverá crescer em sintonia com a conservação ambiental, porém sem descuidar dos ganhos de produtividade e da inclusão social. Graças à ciência e à inovação, o Brasil será protagonista desse processo” a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina. 
 
Conforme ela, o atual Plano Safra deixará o agro brasileiro ainda mais competitivo, reforçando as práticas de uma produção cada vez mais verde, inclusiva e próspera. Ela finalizou sua fala no lançamento fazendo um desafio aos produtores rurais para que a próxima safra chegue a 300 milhões de toneladas de grãos.
 
Pequenos produtores
Os recursos para os pequenos produtores rurais tiveram um acréscimo de 19%. Serão destinados R$ 39,34 bilhões para financiamento pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), com juros de 3% e 4,5%. Desse valor, R$ 21,74 bilhões são para custeio e comercialização e R$ R$ 17,6 bilhões para investimentos. 
 
Entre as novidades do Plano Safra deste ano está o fortalecimento do Pronaf Bioeconomia, com a inclusão de financiamento para Sistemas Agroflorestais, construção de unidades de produção de bioinsumos e biofertilizantes e projetos de turismo rural que agreguem valor a produtos e serviços da sociobiodiversidade. 
 
 
Para o médio produtor, no âmbito do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), foram disponibilizados R$ 34 bilhões, um aumento de 3% em relação à safra passada. São R$ 29,18 bilhões para custeio e comercialização e R$ 4,88 bilhões para investimento, com juros de até 6,5% ao ano. 
 
Armazenagem
 
Aos recursos para a construção de armazéns nas propriedades serão destinados R$ 4,12 bilhões, um acréscimo de 84%. 
 
O Plano Safra 21/22 prevê recursos para o custeio de milho, sorgo e à atividade de avicultura, suinocultura, piscicultura, pecuária leiteira e bovinocultura de corte em regime de confinamento: R$ 1,75 milhão (Pronamp) e R$ 4 milhões para os demais produtores. 
 
Ontem, antes do lançamento, o presidente executivo da Associação Brasileira da Piscicultura (PeixeBR), Francisco Medeiros, estimou que o Plano deste ano deveria continuar a atender às demandas do setor. Porém, destacou que a dificuldade de acesso ao crédito está mais relacionada com a ineficiência dos Estados em licenciar as atividades do que a falta de crédito. “Por isso que, quanto mais eficiente o sistema de licenciamento do Estado for, maior é a captação de recursos do Plano Safra”, falou Medeiros.
 
 
Saiba mais sobre o Plano Safra 2021/2022 no portal do Mapa.
 
Créditos da imagem: Pixabay
 
 
 
 

aquicultura, Mapa, plano safra, Pronaf, Pronamp, Tereza Cristina

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3