Plant based com sabor de peixe chega às gôndolas
Indústria

Plant based com sabor de peixe chega às gôndolas

Hoje, na Europa, já existem corredores inteiros voltados para produtos análogos

Assunta Napolitano Camilo - 24 de junho de 2022

O mundo mudou e nunca mais será o mesmo. Temos que reaprender e rever muitos conceitos para calibrar nossos planejamentos empresariais e pessoais. A pandemia longa, profunda e devastadora nos obrigou a descobrir muitas verdades absolutas e, às vezes, inconvenientes.
 
O acolhimento a animais de rua e a comoção por casos de maus tratos e mortes de animais tem crescido. Há uma dupla preocupação com o gado da pecuária: como eles são tratados e a ocupação de terra. Muitos consumidores adotaram o veganismo por conta destes dois aspectos, movimento que cresce em todo mundo.
 
Passamos a buscar saúde e bem estar físico, mental, emocional e alguns, mais elevados, o espiritual. Assim, vivemos a revolução do “plant based”, produtos à base de vegetais, que substituem proteína animal como carnes vermelhas e leites, e agora peixes, frutos do mar, entre outros. 
 
Até pouco tempo, havia uma pequena área dos supermercados dedicada a estes produtos. Hoje, na Europa, já existem corredores inteiros voltados para estes produtos que estão mais acessíveis. 
 
A última edição da feira ANUGA, em outubro de 2021, destacou os peixes “feitos” de plantas, principalmente o atum, mas também tinha camarão e o caviar produzido a partir da tapioca. 
 
No Brasil, o conceito de plant based vem ganhando espaço no estilo de vida de muitos consumidores. A Fazenda do Futuro introduziu em seu portfólio recentemente a linha Futuro Atum, um alimento à base de proteína vegetal que mimetiza o sabor do atum.
 
O conceito da embalagem segue o padrão do famoso Hambúrguer do Futuro. A marca Futuro Atum ganha destaque no cartucho de papelcartão branco, com texto preto em caixa alta e a apresentação do produto em formato de sanduíche. O claim na parte frontal destaca que se trata de um produto vegetal.
 
O design clean e direto convence. Ao abrir o cartucho, o consumidor encontra uma embalagem flexível laminada com alta barreira para garantir o um ano de shelf-life prometido!
 
Outra foodtech famosa, a The New Butchers, lançou uma linha de pescados plant based. A empresa também seguiu a embalagem adotada nos seus hambúrgueres. Trata-se de uma embalagem termoformada com filme de fechamento transparente que permite a visualização dos produtos. A luva de papelcartão bem impressa, com janela em formato de peixe, complementa o conjunto.
 
O bolinho de bacalhau faz muito sucesso pela proposta de saúde e pela apresentação e praticidade. Não necessita descongelamento e pode ser preparado rapidamente em qualquer aparelho doméstico: forno, fogão, airfryer. Ícones bem compreensíveis orientam os consumidores para o preparo do alimento. 
 
Embalagens que atendem as necessidades dos consumidores têm mais chances de sucesso.
 
Embalagem Melhor Mundo melhor!
 
Créditos: Divulgação
 
 
 

Sobre Assunta Napolitano Camilo
 
  • Diretora da Consultoria de Embalagens FuturePack, do Instituto de Embalagens e a da Coleção de livros: Embalagem Melhor. Mundo Melhor. instituto@ideembalagens.com.br
 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3