Com base em SisRGP, Boletim Prohort traça perfil do pescador no Brasil
Pesca

Com base em SisRGP, Boletim Prohort traça perfil do pescador no Brasil

Foram registrados 975.994 pescadores profissionais no SisRGP, em 2021, distribuídos nas 26 Unidades da Federação e no Distrito Federal

06 de maio de 2022

O 4º Boletim Prohort, da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), revelou que a maioria dos pescadores brasileiros são homens, têm entre 40 e 59 anos e estão localizados na região Nordeste.
 
A publicação divulgada em abril é uma edição especial que inclui uma análise detalhada sobre a produção e o mercado nacionais de pesca e aquicultura e usa dados de 2021 do Sistema Informatizado do Registro Geral da Atividade Pesqueira (SisRGP) da Secretaria de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SAP/Mapa).
 
O Nordeste concentra o maior número de pescadores profissionais, com 467.550, representando 47,91% do total do País. Foram registrados 975.994 pescadores profissionais no SisRGP, em 2021, classificados como pescadores artesanais e industriais, distribuídos nas 26 Unidades da Federação e no Distrito Federal.
 
Após a liderança do Nordeste, aparece a Região Norte, com 359.496 (36,83%). As duas regiões correspondem por 84,74% de todos os pescadores profissionais do Brasil.
 
Na distribuição dos registros por estado, os quatro mais expressivos são o Pará (234.152), Maranhão (173.624), Bahia (113.841) e Amazonas (77.445) representando respectivamente 23,99%, 17,79%, 11,66% e 7,93% do total de pescadores profissionais registrados no País. Os quatro estados representam 61,38% do total nacional. 
 
Gênero e faixa etária
 
Quanto ao gênero, cerca de 53,5% (522.398) dos pescadores são do sexo masculino, e 46,5% (453.596) do sexo feminino. 
 
Considerando nacionalmente, a proporção entre os gêneros é mais igualitária. A maior disparidade entre gêneros está na Região Sudeste com 74.127 registros de pescadores profissionais, sendo que 70,5% são homens e apenas 29,5% são mulheres. 
 
A Região Nordeste apresenta maior predominância feminina com destaque para Sergipe (64,0%), Maranhão (57,4%), Alagoas (57,2%), Bahia (56,3%) e Pernambuco (55,5%).
 
No que tange a distribuição etária dos pescadores profissionais, nota-se que a faixa etária de 40 a 50 anos apresenta maior número de registros, com 537.342 pescadores, correspondendo a 55,06% do total do País. A segunda faixa etária com maior número de pescadores foi a de 20 a 30 anos, com 291.209, referente a 29,84% do total nacional.
 
Esses números revelam que, no geral, a categoria pescadora do País é composta por pescadores mais velhos, uma vez que mais da metade (55,06%) tem entre 40 e 59 anos. Ainda mais marcante quando se observa que cerca de 70,16% dos pescadores profissionais possuem mais de 40 anos, sendo assim apenas 29,84% de todos os pescadores profissionais do País tem menos de 40 anos.
 
Considerando a distribuição etária dos pescadores por região, em todas as regiões do Brasil predominam os trabalhadores da pesca com mais de 40 anos. Nas Regiões Norte e Nordeste destacam-se também os pescadores profissionais na faixa etária de 20 a 39 anos, com 37,2% e 29,2%, respectivamente.
 
Nas Regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul destacam-se também os pescadores profissionais na faixa etária de 60 a 69 anos, com 22,1%, 26,4% e 24,8%, respectivamente.
 
O Pará é o estado que possui maior número de pescadores profissionais com idade maior de 40 anos, com 136.758, representando 58,4% do total de profissionais do estado. Em segundo lugar está o Maranhão com 113.509 pescadores com mais de 40 78 anos, seguido pela Bahia com 82.956. 
 
Por outro lado, com menor número de pescadores profissionais com idade mais de 40 anos, está o Distrito Federal, com 384 pescadores, equivalente a 50,5% do total de profissionais. 
 
Embarcações de Pesca 
 
O Brasil possui 26.773 embarcações de pesca registradas no SISRGP, essa quantidade refere-se às embarcações de pesca que atuam no ambiente marinho.
 
A região Sul concentra mais de um terço dessa frota, com destaque para o estado de Santa Catarina, que detém 7.979 embarcações, o maior número de embarcações de pesca registradas no país. 
 
O estado do Rio de Janeiro e o estado do Ceará ocupam a segunda e a terceira posição em relação ao número de embarcações de pesca registradas, com 3.577 e 2.990 embarcações respectivamente. 
 
Os estados do Rio Grande do Sul, Piauí e Sergipe detém as menores quantidades de embarcações de pesca com 181, 161 e 124 embarcações registradas respectivamente. 
 
Conforme a publicação, a frota pesqueira marinha brasileira é, em sua maior parte, de pequena escala, 85,7% das embarcações de pesca tem menos de 12 metros de comprimento, sendo que 62,4% das embarcações medem entre seis e 11,9m e 23,3% têm menos de seis metros de comprimento.
 
Menos de 1% das embarcações de pesca registradas no Brasil tem mais de 24 metros de comprimento, sendo que as maiores embarcações estão na região Sul, com destaque para o estado de Santa Catarina que concentra 137 embarcações nesta categoria, enquanto a região norte possui apenas 13, todas registradas no estado do Pará.
 
Modalidades
 
Dentre as modalidades de pesca permissionadas, destacam-se as embarcações de utilizam a rede de emalhe como petrecho, também conhecido como arte de pesca, para captura de suas espécies alvo, com 10.504 embarcações de pesca registradas. Em seguida, destacam-se as embarcações de pesca que operam com a rede de arrasto, sendo elas 5.262.
 
Essas modalidades estão muito bem distribuídas por todos os estados brasileiros com embarcações de pesca marinha registradas. Na região Norte do País, destaque para a modalidade de pesca com rede de emalhe, no Nordeste, por sua vez, destacam-se as pescarias com armadilhas (destinadas a capturar lagostas e alguns peixes) e rede de arrasto (em grande maioria tendo camarões como espécie-alvo). 
 
Por outro lado, na Região Sudeste cada estado apresenta uma predominância, para o Espírito Santo pescarias com linha são as preferidas, para o Rio de Janeiro pescarias com petrechos diversificados e para São Paulo pescarias com rede de arrasto. Na Região Sul destaque para a pesca com rede de emalhe e petrechos diversificados. 
 
Créditos: Pixabay

4º Boletim Prohort, aquicultura, Mapa, pesca, pescador, SAP, SisRGP

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3