Operação-padrão na Receita Federal preocupa setor de pescado
Indústria

Operação-padrão na Receita Federal preocupa setor de pescado

Páscoa pode sofrer com o desabastecimento de produtos importados por causa da lentidão provocada pela greve dos servidores públicos

18 de janeiro de 2022

Com a aproximação da Quaresma, a operação-padrão na Receita Federal (RF) começa a preocupar o setor de pescado em todo o País. A época que antecede a Páscoa é um dos períodos mais importantes para o segmento, mas neste ano corre o risco de sofrer com desabastecimento e alta nos preços de produtos importados por causa da lentidão provocada pela greve dos servidores públicos.
 
Atenta ao cenário, a Associação Brasileira de Fomento ao Pescado (Abrapes) contou à Seafood Brasil que está realizando um monitoramento junto aos seus associados e despachantes, e, até o momento, considera que o comércio está fluindo bem, em virtude de haver um percentual pequeno de cargas que são parametrizadas em canal vermelho. 
 
Ainda assim, a entidade manifesta sua preocupação diante da operação-padrão. “Este é um período importante para o setor de pescado, em que há alto volume de importação e paralisações nos pontos de entrada podem gerar sérios prejuízos para toda a cadeia, como desabastecimento e alta nos preços, forçando ainda mais a inflação, que já se encontra acima da meta”, destaca a associação.
 
Impactos em diversos setores
 
Segundo a Câmara de Comércio, Indústria e Serviços do Brasil (Cisbra), empresas de diversos setores estão sofrendo com o atraso causado na liberação de cerca de 4% das importações escolhidas aleatoriamente para passarem pelo canal vermelho, uma fiscalização mais rígida que costuma ser de 3 a 5 dias e, com a greve, pode demorar até 20 dias.
 
O diretor de Comércio Exterior da Cisbra, Arno Gleisner, destaca que a demora provoca uma fila de cargas à espera de liberação, em especial nas aduanas de Foz do Iguaçu, no Paraná, e Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, que estão entre as maiores do Brasil em número de processos. 
 
“São casos localizados, mas muito pesados para as empresas atingidas. Os custos, diretos ou indiretos, são muito significativos, aumentando ainda mais o custo Brasil, e alguns totalmente irreversíveis”, pontua Gleisner. 
 
Ele lembra que as empresas atingidas podem estar diretamente envolvidas no desembaraço, ou necessitando das mercadorias para um processo produtivo ou ainda para atender as necessidades dos consumidores. “Nos próximos dias é muito provável que vejamos ausências de produtos de diversas cadeias produtivas, especialmente em regiões com logística mais complicada”, adverte.
 
Como ressalta o Correio Braziliense, a operação-padrão na Receita Federal foi a primeira resposta de servidores públicos à aprovação do Orçamento de 2022 que garantiu reajustes salariais apenas para carreiras policiais, que integram a base do governo. 
 
O movimento dos auditores consiste em adotar um rigor excessivo na análise de declarações, documentos e pedidos de importação e exportação, tornando o trabalho da RF extremamente lento.
 
Créditos: Pixabay
 

, Abrapes, Arno Gleisner, Cisbra, exportação, importação, Páscoa, pescado, Quaresma

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3