Sustentabilidade: uma jornada lucrativa
Aquicultura

Sustentabilidade: uma jornada lucrativa

5 perguntas à sócia-fundadora do Aqua-Spark, Amy Novogratz

04 de fevereiro de 2022

Ser capa da Forbes foi só mais uma etapa do amplo reconhecimento internacional alcançado por Amy Novogratz, sócia-fundadora do Aqua-Spark, um fundo de investimentos em projetos de impacto na aquicultura, sediado na Holanda. O título do artigo da revista norte-americana de economia deixa claro como as aquisições para Sustentabilidade: uma jornada lucrativa o portfólio do fundo - que inclui a brasileira Fisher Piscicultura - fazem parte de uma jornada que comprova como investir em sustentabilidade é um bom negócio.
 
Mais de 190 investidores de 29 países foram atraídos pela proposta de fortalecer empresas aquícolas com inovações sustentáveis e injetaram US$ 148 milhões no fundo. E ganharam muito dinheiro: só em 2019, a Taxa Interna de Retorno (TIR) superou 20% sobre
o montante investido.
 
A liderança inovadora de Novogratz não para apenas no seu próprio negócio, como a própria conta em entrevista à Seafood Brasil. “Estamos construindo uma estratégia blueprint [com foco nos usuários dos produtos e serviços] para expandir toda a indústria de aquicultura.”
 
Confira a seguir 5 perguntas à sócia-fundadora do Aqua-Spark, Amy Novogratz:
 
SB: No Seafood Show Latin America Connect você disse que o foco do Aqua-Spark na aquicultura vem da constatação de que
estamos tirando mais do oceano agora que ele pode realmente aguentar, apesar do desejo crescente da população por proteínas
aquáticas. Qual você acha que seria o papel da pesca comercial no fornecimento de proteína aquática? Você acredita na pesca sustentável e investiria nisso?
 
Amy:  Achamos que existem alguns grandes grupos trabalhando na pesca sustentável, mas também algumas práticas de pesca comercial que precisamos encerrar. Meu ponto é: se você olhar para a crescente demanda por pescado, a oferta não virá do
oceano, mas da aquicultura. A FAO diz que precisamos dobrar a produção da aquicultura até 2050. Participamos de grupos como o Fishing for the Future, que prevê a necessidade de triplicar a produção no período.
 
A Aqua-Spark existe para investir e escalar soluções para os desafios de nosso setor de forma que práticas sustentáveis, transparentes e saudáveis sejam a regra. Estamos construindo uma estratégia blueprint [com foco nos usuários dos produtos e serviços] para expandir toda a indústria de aquicultura.
 
A matéria completa está disponível na Seafood Brasil #41 e pode ser lida aqui.
 
Créditos: Divulgação

5 perguntas, 5 perguntas, Amy Novogratz, Amy Novogratz, Aqua-Spark, Aqua-Spark, aquicultura, aquicultura, pesca, pesca, seafood brasil, seafood brasil

 
BaresSP publicidade 980x90 bares
 

Notícias do Pescado

 

 

 
SeafoodBrasil 2019(c) todos os direitos reservados. Desenvolvido por BR3